Social:

 

“A ideia é avaliar as pessoas , o contexto social em que vivem, ajudá-las com alguma informação que lhe possa dar qualidade de vida”, sintetiza. Nesta avaliação determinar-se-á a situação clínica do idoso, a sua autonomia física, a forma como se alimenta, o seu estado social e cognitivo, entre outras dimensões. As pessoas que vivem isoladas terão um acompanhamento mais diferenciado, acentua Sérgio Gomes.

À luz da evidência científica atual sobre capacitação, melhoria de competências para lidar com a saúde e o risco de doença, foi elaborado um novo Programa Nacional de Saúde Escolar. Assim, a Direção-Geral da Saúde coloca em discussão pública, até ao dia 18 de maio de 2014, o Programa Nacional de Saúde Escolar 2014.

Este despacho é um bom indicador da nova direção do INEM pela a atribuição de responsabilidades nos níveis mais elevados de resposta do SIEM aos profissionais mais qualificados (médicos e enfermeiros). Em matéria de localização dos meios, este despacho tem orientação diferente relativamente aos malfadados despachos de 2012, certamente devido à nova equipa que dirige o INEM. Assim sendo, devem merecer o nosso apoio e acompanhamento interessado.

Pedro Silva

Co-administrador

Despacho n.º 5561/2014

O Sindicato Independente dos Médicos (SIM) acusa o Ministério da Saúde de querer obrigar estes profissionais a cumprirem funções que não são sua atribuição

O Ministério da Saúde garantiu hoje que a recente portaria sobre a categorização dos serviços e estabelecimentos do Serviço Nacional de Saúde (SNS) não vai ser revogada, ao contrário do que afirmou o presidente da Câmara de Gaia.

O gestor do doente descrito nesta notícia vai ao encontro do perfil do enfermeiro de família tal como tem sido promovido. Esperemos que a ausência de menção ao enfermeiro de família por parte do responsável do MinistÉrico da Saúde seja apenas circunstancial sob pena de haver uma sobreposição de funções com essa figura do gestor de saúde.

 Relatório do Grupo de Trabalho para integração dos níveis de cuidados saúde para Portugal em discussão pública até 17 maio. Participe.

NOTA do Editor(Mauro Rosa): É crucial enviar os contributos. Quem quiser analisar o relatório em conjunto, envie email para Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
P
odem consultar e fazer o download do relatório no Portal da Saúde ou AQUI

 

Higieno-fascismo?

O que virá a seguir? Instalarem uma câmara em casa para ver se lavamos sempre as mãos? 
Proibirem os doces da Páscoa e os enchidos? O que é comida saudável e o que não é? Isto é reduzir a saúde à componente biológica e esquecer toda restante componente psicossocial!
O único que está a ter uma posição mais adequada sobre o tema é mesmo o director da DGS.
NOTA do Editor: Mauro Rosa