Social:
sexta, 19 setembro 2014 19:22

Sindicato considera «insuficiente» contratação de mil enfermeiros este ano

O Sindicato dos Enfermeiros considerou hoje insuficiente a contratação de mil enfermeiros, anunciada na quinta-feira pelo Ministério da Saúde, para resolver o problema dos dias de trabalho em dívida, dos turnos extraordinários e das folgas não gozadas.

A Administração Central do Sistema de Saúde (ACSS) divulgou em comunicado que o Serviço Nacional de Saúde (SNS) vai contratar mais de mil enfermeiros até final do ano, precisando que já foi autorizada a contratação de 585 enfermeiros, e já está “em fase final de autorização” a contratação de outros 344, totalizando 929 processos de contratação.

Reagindo a este anúncio, o Sindicato dos Enfermeiros Portugueses (SEP) afirma que o número avançado é insuficiente, uma vez que já estão autorizados em pendentes 929 contratações, o que significa que “o Ministério da Saúde só vai contratar mais 71 enfermeiros, até ao final do ano”.

O SEP sublinha que até 17 de setembro, data da última reunião entre a tutela e o sindicato, já tinham sido autorizadas 585 contratações – para as quais será necessário abrir bolsas de recrutamento – e estavam pendentes 344 autorizações de contratação no Ministério das Finanças, o que totaliza 929 enfermeiros.

“Os milhares de dias de trabalho em dívida aos enfermeiros, os milhares de turnos extraordinários que os enfermeiros são obrigados a fazer, as centenas de dias de folga não gozados não se resolvem com aquelas 929 contratações e a possibilidade de contratar mais 71 (diferença entre os 1000 anunciados e os 929)”, afirma.

O SEP exige, assim, que Ministério da Saúde anuncie quantos enfermeiros vai contratar, ainda em 2014, “que permita minimizar os problemas de funcionamento das instituições” e que “apresente um plano de contratação de médio e longo prazo”.

A 21 de agosto a ACSS anunciou que já este ano tinham sido contratados 409 enfermeiros e que iria ser contratado mais “um número significativo” de profissionais.

A Ordem dos Enfermeiros tem alertado para o estado de exaustão em que se encontram os enfermeiros, apontando os turnos longos e o elevado número de doentes por profissional.

De exaustão fala também o Sindicato dos Enfermeiros Portugueses, motivo pela qual, e pela contratação de mais profissionais, marcou uma greve nacional para os dias 24 e 25.

No início do mês, o ministro da Saúde, Paulo Macedo, reconheceu a existência de "insatisfação" entre os profissionais do setor, mas considerou "anormais" e em "risco de banalização" as greves que afetam apenas o SNS. Nos últimos meses têm decorrido greves setoriais da classe.

O SEP tem marcada mais uma reunião com o Ministério da Saúde para o dia 22 de setembro, às 18 horas, e uma greve nacional para os dias 24 e 25.

Diário Digital com Lusa

Ler 2105 vezes