Social:
terça, 29 julho 2014 12:30

Despesa do Estado com diabetes dispara e atinge recorde de 210 milhões

O Serviço Nacional de Saúde (SNS) gastou no ano passado 210 milhões de euros em medicamentos para a diabetes, um valor recorde que equivale a quase um quinto da despesa total do Estado com a comparticipação de fármacos em ambulatório.

Segundo a Autoridade Nacional do Medicamento (Infarmed), os encargos com a diabetes, que atinge mais de um milhão de portugueses, dispararam 400% só nos últimos seis anos, atingindo o valor mais alto em 2013: em média, a despesa atingiu 575 mil euros por dia.

O Infarmed sublinha que "uma utilização mais racional" destes medicamentos - que representam 18% da despesa total do Estado em ambulatório - traria "importantes ganhos para o SNS" e estima que a poupança poderia mesmo chegar aos 75 milhões de euros.

O consumo de medicamentos para controlar a diabetes duplicou desde 2000, mas o crescimento da despesa foi bastante superior, o que significa que começaram a ser utilizadas "alternativas de tratamento mais dispendiosas".

O aumento dos gastos não se refletiu, no entanto, nos resultados em saúde: Portugal continua a ter das mais altas prevalências da doença na Europa e os reinternamentos e amputações têm vindo a aumentar.

O estudo do Infarmed comparou o tipo de utilização de fármacos em Portugal com o que é feito noutros sete estados europeus (Inglaterra, Dinamarca, Holanda, Espanha, Alemanha, Itália e França) e concluiu que o país apresenta uma menor proporção de recurso às insulinas e é o que menos recorre ao medicamento considerado de primeira linha no tratamento da diabetes tipo 2.

"Se Portugal apresentasse um padrão de utilização mais similar ao dos outros países analisados (...), o SNS poderia obter poupanças ao nível dos medicamentos para o controlo da diabetes", sublinha o estudo, que estima uma poupança média de 34 milhões de euros, que poderia mesmo chegar aos 75 milhões no caso de vir a ser adotado o padrão de consumo registado em Inglaterra.        

FONTE: http://bit.ly/1qIDlZb

Ler 1235 vezes