Social:
segunda, 21 julho 2014 13:11

Pele: saiba quais os sinais que indiciam problemas de saúde

 A pele, o maior órgão do corpo humano, é geralmente vista como uma janela do bem-estar de uma pessoa, já que pode mostrar pistas sobre a saúde de outros órgãos. Pois, muitas alterações cutâneas podem estar associadas a doenças internas.

De acordo com dermatologistas, alterações cutâneas, que vão desde a descoloração ao aparecimento de marcas, podem ser os primeiros sinais de problemas de saúde mais sérios.

 Segundo Doris Day, dermatologista no Hospital Lenox Hill em Nova Iorque, quando as pessoas detectam sinais devem procurar um médico. "Quando essas alterações permanecem por algumas semanas, vão e voltam, pode ser até normal. Mas se persistirem, a melhor coisa a fazer é procurar ajuda médica, principalmente se piorar”, diz  Day citado num artigo da plataforma brasileira R7.
 
Erupções cutâneas e manchas na pele

Em geral, uma erupção que não responde ao tratamento e é acompanhada por outros sintomas - como febre, dor nas articulações e dores musculares - pode ser um sinal de um problema interno ou uma infecção. De acordo com a Academia Americana de Dermatologia (AAD), também pode haver relação com uma alergia ou sinalizar uma reação a algum medicamento.

Uma erupção aveludada na parte de trás do pescoço, ou em torno dos braços, normalmente com uma cor ligeiramente mais escura do que o tom de pele normal da pessoa, é um sinal de que o paciente pode ter propensão para o desenvolvimento de diabetes do tipo 2. "Quando noto esses sinais, pergunto ao paciente se o açúcar no sangue estão controlados e verifico sua dieta”, diz Day.

Doris Day também explica que uma erupção roxa nas pernas que não responde à medicação, pode ser um sinal de hepatite C.

Bronzeamento da pele e outras descolorações

De acordo com Day, em pessoas com diabetes, um bronzeamento da pele pode ser um sinal de um problema com ferro no metabolismo. A coloração amarelada da pele, por outro lado, pode ser sinal de insuficiência hepática, e podem ocorrer também nos olhos, alterando sua coloração.

Um escurecimento - principalmente visível em cicatrizes e dobras da pele, bem como sobre as articulações, como cotovelos e joelhos - poderia ser um sinal de doença hormonal, como a doença de Addison, o que afeta as glândulas supra-renais, de acordo com a AAD.

Escoriações

De acordo com a AAD, as pessoas que veem escoriações na pele devem sempre procurar ajuda médica, tendo em vista que podem ser sinais de câncer de pele, doenças internas ou uma síndrome genética.

Um exemplo dado pela Associação Americana de Dermatologia (AAD) é que em uma condição chamada de ‘exantema eruptiva’, colisões amarelas nos braços, pernas ou regiões lombares, poderia ser um resultado de altos níveis de triglicéridos, indiciando uma diabetes não controlada.

O padrão de distribuição da acne também pode fornecer pistas sobre o problema subjacente. Nas mulheres, a acne que aparece principalmente ao longo da face inferior ou linha da mandíbula pode ser um sinal da síndrome do ovário policístico, de acordo com Day.
A condição, muitas vezes faz com que outros sintomas, como alterações de peso, queda de cabelo e aumento do crescimento de pelos no rosto, apareçam.

Alterações nas unhas

Segundo Doris Day, alterações na cor ou forma das unhas, muitas vezes podem ser um sinal de problemas de deficiência nos órgãos.

Por exemplo, alterações das unhas assemelhando-se a uma infecção fúngica, na verdade, pode ser um resultado de psoríase nas unhas. Pessoas que apresentem dores nas articulações devem levar em conta uma possível artrite psoriásica. Além disso, problemas de fígado e problemas renais, também podem causar, em alguns casos, alterações na cor das unhas.

Mudanças na rigidez da pele e secura

Problemas de pressão arterial alta e rins, por vezes, resultam em um espessamento da pele na região das pernas, diz Day. Além disso, a pele muito seca com indícios de comichão, pode indicar problemas hormonais, como uma disfunção da tiróide.

Pessoas com uma doença auto-imune também designada esclerose sistémica, podem apresentar inchaço e endurecimento da pele. Em casos mais graves, pode resultar no endurecimento de órgãos internos, tais como os pulmões ou o coração, de acordo com dados da AAD.

Por outro lado, a pele muito frágil e sedosa pode ser um sintoma de uma doença rara do tecido conjuntivo, podendo levar a um linfoma ou mieloma múltiplo. Segundo a AAD, isso afetaria diretamente os órgãos internos, em caso de progressão sem tratamento.

Ler 2804 vezes