Social:
quinta, 14 novembro 2013 17:03

IPO/Porto apela à doação de sangue

O presidente do IPO/Porto revelou, esta quinta-feira, que houve uma redução significativa de dádivas de sangue no último ano e apelou à comunidade que se voluntarie para ajudar a suprir as necessidades deste instituto de oncologia.

Laranja Pontes disse que o IPO do Porto, atualmente, necessita de elevar em 12% as doações, num mínimo de 40 colheitas de sangue por dia, para dar resposta às necessidades de forma autossuficiente e recorrer com menor frequência à compra de componentes sanguíneos e plaquetários.

"Já este ano, o IPO/Porto investiu em ações de angariação de dadores nas faculdades da Universidade do Porto e politécnicos, bem como ações de reconhecimento e fidelização dos atuais dadores. É fundamental que consigamos recuperar as doações de sangue e que consigamos mobilizar as pessoas para esta necessidade", sublinhou o responsável.

Laranja Pontes considerou que "o momento de crise que se vive no país não contribui para aumentar as dádivas de sangue. A desmotivação e a falta de esperança leva a que as pessoas não estejam tão abertas a estes movimentos que são necessários".

Daí que o presidente do IPO do Porto insista na necessidade de as autoridades nacionais criarem "um ambiente favorável" para que não só os dadores se sintam motivados a ajudar, mas também para angariar novos voluntários.

"Acho que houve alguns erros de 'casting' recentemente neste processo, que deixaram marcas. E acho que se calhar um dia destes as autoridades competentes tem de pensar em criar mais alguns incentivos, porque senão podemos vir a estar em situações de fragilidade", sublinhou.

http://www.jn.pt/PaginaInicial/Sociedade/Saude/Interior.aspx?content_id=3532941

Ler 2358 vezes