Imprimir esta página
sexta, 04 outubro 2013 01:29

Pequeno-almoço abundante aumenta a fertilidade, diz estudo

Um pequeno-almoço abundante pode ser a chave para engravidar, pelo menos para as mulheres que sofrem da síndrome de ovário policístico (SOP), segundo os resultados de uma pesquisa realizada pela Universidade Hebraica de Jerusalém.

O estudo, realizado durante 12 semanas no Hospital Wolfson, concluiu que o número de mulheres que ovulam após ingerir um pequeno—almoço abundante cresceu consideravelmente, assim como os seus níveis de fertilidade. O SOP, também conhecido pelo nome de síndrome de Stein-Leventhal e que afecta entre 6% e 10% das mulheres em idade reprodutiva, é um transtorno endócrino que provoca frequentes desequilíbrios hormonais, o que, como consequência, gera menstruação irregular e resistência à insulina. Durante a pesquisa realizada pela edição electrónica do jornal Yedioth Ahronoth, foram analisados dois grupos de mulheres com um índice de massa corporal saudável (BMI), às quais foi administrada uma dieta de 1.800 calorias por dia. Metade delas ingeriu 980 do total das calorias ao pequeno-almoço, enquanto a outra metade fez a mesma ingestão ao jantar. Entre as primeiras, foi registada uma diminuição de 8% nos níveis de glicose e na resistência à insulina, assim como uma queda de 50% nos níveis de testosterona. Nas segundas não foi registada nenhuma alteração, nem química nem hormonal. Segundo a fonte, o primeiro grupo mostrou um aumento significativo nos índices de fertilidade. «A pesquisa demonstra que é importante o número de calorias que ingerimos por dia, mas o momento que o fazemos também é», disse o professor Oren Froy, da Universidade Hebraica, que dirigiu o estudo.

http://diariodigital.sapo.pt/news.asp?id_news=659622

Ler 3108 vezes