Social:

José Correia Azevedo, do Sindicato dos Enfermeiros, afirma que os motivos da greve não são económicos: prendem-se, antes, com o incumprimento do acordo colectivo de trabalho que "diz que os enfermeiros têm direito a um horário normal de 35 horas".
Quem voltou a colocar a questão do sal na mesa do debate político foi o líder do PSD, Rui Rio, ao defender a taxação de produtos com sal e açúcar em excesso. Governo prefere, por enquanto, a auto-regulação da indústria agro-alimentar.
A greve dos enfermeiros, segundo o pré-aviso, abrange todos os profissionais que excedam as 35 horas semanais de trabalho ou as 42 no caso de horário acrescido.
Petição vai ser lançada em conjunto com a Sociedade Portuguesa de Medicina Reprodutiva. Recolha de assinaturas começa na próxima semana.
No final das jornadas parlamentares, João Oliveira anunciou 16 iniciativas legislativas com as quais vai confrontar as políticas do Governo nos próximos tempos. E conta com a “luta dos trabalhadores” nesta estratégia de pressão.
O secretário-geral do Sindicato dos Técnicos de Enfermagem de Luanda (Sintenfl) confirmou esta sexta-feira o início, na segunda-feira, de uma greve por tempo indeterminado.
O bastonário da Ordem dos Médicos explicou que se pretende que o orçamento público da saúde tenha um aumento de pelo menos 0,15 pontos percentuais ao ano, alcançando, dentro de dez anos, 7% do PIB.
Grupo propõe ainda a criação de um gabinete interministerial para controlo da fraude e publicidade enganosa e a existência de uma verba específica para o investimento em equipamentos e infra-estruturas.