Social:

O secretário-geral do PS propôs hoje a imediata concessão da isenção do pagamento de taxas moderadoras para os utentes que recorrem às urgências dos centros de saúde com doença aguda, medida que defendeu ser extraordinária e temporária.
O bastonário da Ordem dos Médicos considerou hoje que não é possível discutir um plano de catástrofe quando a catástrofe está a acontecer no sistema de saúde e defendeu que a atual epidemia de gripe era antecipável.
Neste Inverno, já morreram, pelo menos, oito pessoas em urgências hospitalares.
Medida deve vigorar nos centros de saúde enquanto durar a "epidemia" de gripe.
O Ministério Público (MP) está a investigar os casos dos doentes que morreram nas urgências dos hospitais de S. José, Peniche e Santa Maria da Feira, disse à Lusa fonte da Procuradoria-geral da República.
Um terço dos casos de gripe detetados na terceira semana deste ano pertencem ao vírus A(H3), que inclui estirpes diferentes da que consta nas vacinas administradas nesta época gripal, segundo o Boletim de Vigilância Epidemiológica da doença.
À vontade dos movimentos pró-vida de levar de novo a lei da IVG ao Parlamento, o presidente do Hospital Santo António responde que não há necessidade de mexer na lei. Mas critica quem quem usa o aborto como método contraceptivo.
O presidente do Hospital Santo António, Sollari Allegro, diz, em entrevista à Renascença, que a "troika" e a redução de rendimentos dos portugueses trouxeram novas realidades: os medicamentos não se tomam, os doentes voltam às urgências por falta dessa terapêutica. Há dificuldades em pagar exames ou até em ter 20 euros para aceder a uma urgência.