Social:

Órgão da Ordem dos Médicos diz que projectos usam terminologia vaga. Eutanásia e suicídio assistido "situam-se fora dos princípios da medicina”, defendem.
A falta de legitimidade do Parlamento para discutir a eutanásia foi um dos argumentos fortes usado por muitos dos manifestantes.
Heloísa Apolónia, deputada do Partido Ecologista Os Verdes, diz que projeto lei sobre eutanásia não retira um cêntimo "ao investimento nos cuidados paliativos".
O CDS-PP considerou, esta terça-feira, que a despenalização da eutanásia dá "poder a terceiros sobre a vida de outrem". Partido lembrou que leis como esta têm consequências sem retorno.
O PCP insiste que a despenalização seria um passo no sentido do retrocesso civilizacional. "A dignidade da vida não se assegura com a consagração legal do direito à antecipação da morte."
Decisão sobre a despenalização da eutanásia deveria ser remetida para depois das próximas eleições legislativas, defendeu esta terça-feira Fernando Negrão, líder parlamentar do PSD.
Pág. 558 de 558