Social:
segunda, 09 setembro 2019 15:46

Estado vai pagar leite adaptado para crianças com alergia a proteínas de leite de vaca

Despacho diz que famílias podem obter comparticipação com receita de médico do SNS. Leite é depois adquirido em farmácias. Célia Costa, imunoalergologista, defende o alargamento da medida ao privado.

O Governo publicou esta segunda-feira o diploma que estabelece que o Estado vai pagar na totalidade o leite adaptado para crianças alérgicas às proteínas de leite de vaca. O despacho, assinado pelo Secretário de Estado Adjunto e da Saúde, Francisco Ventura Ramos, explica que esta é uma condição frequente e que pode levar a várias complicações, havendo mesmo o risco de morte. 

A alergia às proteínas do leite de vaca (APLV) constitui a alergia alimentar mais frequente na primeira infância, sendo diagnosticada nos primeiros meses de vida (…) A principal consequência para as crianças com APLV é a malnutrição progressiva com implicações no crescimento e no desenvolvimento neurocognitivo, não esquecendo o risco de morte durante um episódio de anafilaxia”, refere o diploma.

Para os pais poderem receber esta comparticipação, têm de obter uma receita junto de um médico do Serviço Nacional de Saúde (SNS). O leite é depois exclusivamente obtido em farmácias. Ainda não há data definida para a entrada em vigor deste “regime excecional” de ajuda do Estado.

Para a imunoalergologista Célia Costa, da Unidade Funcional de Alergias Alimentares do Hospital Santa Maria, esta “é uma medida excelente”. Em declarações à Rádio Observador, Célia Costa destaca a redução da carga financeira para as famílias com uma criança com esta alergia: “As formas deste tratamento hidraulizadas são extremamente caras e não tinham qualquer comparticipação. Numa família com uma criança com alergia às proteínas do leite de vaca, a diminuição desta sobrecarga económica é fantástica”.

Ainda assim, a imunoalergologista defende que a medida devia ser alargada ao serviço privado. “Vai haver uma sobrecarga do público. Vamos sobrecarregar o SNS com todas as crianças alérgicas a proteínas de leite de vaca, para fazer uma prescrição de um leite extensamente hidraulizado”, sublinha Célia Costa. “Um imunoalergolista faz tão bem um diagnóstico no público como no privado”, acrescenta.

FONTE - Observador

Ler 133 vezes