Social:
quarta, 14 agosto 2019 13:37

Três anos depois do primeiro anúncio: Governo lança concurso para construir o Hospital Central do Alentejo

Foi lançado esta quarta-feira o concurso público para a construção do Hospital Central do Alentejo, em Évora. Um investimento superior a 150 milhões de euros. Desde 2016 que o Governo prometia lançar este concurso. Três anos depois, ele aconteceu.

O novo Hospital Central do Alentejo, cujo concurso público para a sua construção foi lançado esta-quarta-feira, “será um motor de desenvolvimento regional e de coesão social”, afirmou o presidente da Administração Regional de Saúde (ARS).

Mais populares

  • Tourada

    Morte de touro com forcão motiva denúncia da Associação ANIMAL

  • Justiça

    Tribunais obrigados a utilizar linguagem simples e clara

  • i-album
    Fotografia

    Alzheimer: “A minha mãe tornou-se na minha filha e o humor, no nosso brinquedo”

A futura unidade hospitalar, a construir em Évora, será “um motor de desenvolvimento regional e de coesão social para o Alentejo”, considerou o presidente da ARS do Alentejo, José Robalo, em declarações à agência Lusa.

O concurso público internacional para a empreitada de construção do novo Hospital Central do Alentejo, num investimento superior a 150 milhões de euros, foi lançado esta quarta-feira pela ARS.

Segundo o anúncio do concurso, publicado hoje em Diário da República (DR), o valor do preço base para a “realização dos trabalhos, prestações de serviço e fornecimentos para a empreitada de construção do novo hospital” é de 150.421.727 euros.

José Robalo sublinhou que o lançamento do concurso público para a empreitada é “mais uma etapa decisiva” para que “o novo Hospital Central do Alentejo se torne uma realidade em dezembro de 2023”.

“Esta é uma ambição de todos os profissionais do [actual] hospital de Évora e de toda a população do Alentejo, sendo complementar às restantes unidades de saúde da região”, vincou.

A ARS do Alentejo indicou que o novo hospital envolve um montante total “superior a 180 milhões de euros”, uma vez que aos 150 milhões de investimento previsto (incluindo 40 milhões de fundos europeus) acresce 23% do imposto sobre o valor acrescentado (IVA).

O Hospital Central do Alentejo, que será construído na periferia de Évora, vai ter um edifício que ocupará uma área de 1,9 hectares e que terá uma lotação de 351 camas em quartos individuais, que pode ser aumentada, em caso de necessidade, até 487 camas.

A futura unidade hospitalar vai dar resposta às necessidades de toda a população do Alentejo, com uma área de influência de primeira linha que abrange cerca de 200 mil pessoas e, numa segunda linha, mais de 500 mil pessoas.

A infraestrutura contará com 11 blocos operatórios, três dos quais para actividade convencional, seis para actividade de ambulatório e dois para actividade de urgência, cinco postos de pré-operatório e 43 postos de recobro.

Adiamentos e anúncios sucessivos

O lançamento do concurso público para a construção deste hospital começou a ser falado logo no início da legislatura. Em Outubro de 2016, o então ministro da Saúde Adalberto Campos Ferreira dizia na Assembleia da República que em 2017 “o modelo de financiamento” do novo hospital “estará resolvido”. Em Novembro de 2017, o mesmo ministro garantia no Parlamento que o Governo “está a aguardar, até final do ano, uma decisão sobre reprogramação de fundos comunitários” que permitisse fazer o lançamento do concurso para a construção do novo hospital.

Constitui-se entretanto um grupo de trabalho em Março de 2018, com um prazo de seis meses para preparar e lançar o concurso internacional. Em Janeiro de 2019, o Conselho de Ministros aprova uma resolução que estabelece o carácter prioritário da construção do Hospital.

Em Janeiro o Governo compromete-se a lançar o concurso até Maio. Foi lançado esta quarta-feira.

FONTE - Público

Ler 284 vezes