Social:
quinta, 14 março 2019 17:16

Dez bois resgatados de um barracão vão ter novos pastos

Animais foram resgatados há cerca de dois anos de uma exploração ilegal em Sintra. Esta sexta-feira terão novos pastos por onde andar.

Há dois anos, dez bois bebés foram resgatados pelas autoridades veterinárias de um barracão, “sem luz, com esterco até ao pescoço”, numa exploração ilegal em Sintra. Esta sexta-feira, estes dez bovinos terão novos pastos por onde andar.

Mais populares

  • Entrevista

    Limpeza das florestas: se não gerir o terreno, o proprietário “tem de o vender”

  • Redes sociais

    Facebook e Instagram parcialmente inacessíveis em partes da Europa e América do Norte

  • i-album
    Pet

    Em Israel, há um refúgio para animais com deficiência

São “filhotes da indústria leiteira” que acabam por ser postos de lado, explica Alice Basílio, da associação Setúbal Animal Save, que diz ainda que este tipo de situações costumam ser “frequentes”. O que é a “excepção” nesta história, diz a activista, é o facto de ter sido conseguido tirar os animais todos desta situação e conseguir agora nova casa para eles.

Depois do resgate de há dois anos, os bois foram levados para as instalações do canil de Sintra. O espaço tornou-se pequeno para albergar estes animais de grande porte, que chegaram, inclusive, a fazer alguns estragos nas instalações e “a situação tornou-se insustentável”, nota Alice Basílio.

Segundo a Setúbal Animal Save, que trabalha junto da população para a consciencializar sobre a agro-pecuária, foi feito, no domingo, um “pedido de ajuda urgente de realojamento”, uma vez que os bovinos teriam de abandonar o canil dali a uma semana. Caso contrário, teriam de ser abatidos.

Foi lançado um apelo online e em três dias, entre a comunidade activista e a própria Direcção-Geral de Alimentação e Veterinária (DGAV), conseguiu-se nova morada para estes dez bovinos. Esta sexta, serão transportados para novos pastos, onde deverão permanecer até à sua morte natural. Para já, serão transportados para a Quinta dos Caninos, em Palmela. Daqui a umas semanas, seis deverão ser realojados noutras quintas em diferentes pontos do país. “Agora é que vai começar o trabalho”, nota Alice Basílio, uma vez que terão de ser construídas vedações e abrigos nas quintas.

“Tudo isto, inclusive a agilidade das entidades competentes, é inédito em Portugal e retrata um pouco da mudança de consciência que está a acontecer mundialmente e a dar cá os primeiros passos”, sublinha a associação Setúbal Animal Save.

FONTE - Público

Ler 62 vezes