Social:
sexta, 09 novembro 2018 11:17

Discute muito? Os abraços podem ajudar a evitar o mau humor

O estado civil não parece influenciar a relação entre abraços e humor.

As pessoas que recebem abraços têm menos probabilidade de ter mau humor depois de uma discussão do que aqueles que não recebem esse tipo de afecto, sugere um estudo, publicado na revista online Plos One.

Mais populares

  • Assembleia da República

    Parlamento abstém-se de actuar sobre o caso Silvano

  • Francisco Balsemão

    Balsemão cria um grupo de Bilderberg à portuguesa em Cascais

  • i-album
    Fotografia

    Um retrato do “último sopro de Trás-os-Montes”

Embora o contacto pessoal e as interacções sociais significativas com outras pessoas estejam vinculados há muito tempo a uma melhor saúde física e mental, grande parte dessa pesquisa concentrou-se nos relacionamentos românticos ou familiares. Por seu lado, este estudo concentrou-se em adultos que normalmente não eram casados ??nem estavam em relacionamentos de longo prazo. E, entre estes, foi encontrado um vínculo entre simples abraços e melhores estados de espírito depois de as pessoas passarem por conflitos.

Para o estudo, os investigadores entrevistaram 404 homens e mulheres todas as noites, durante duas semanas, e perguntaram-lhes sobre as actividades e interacções que tiveram durante o dia, assim como qualquer mudança de humor. Apenas 98 dos participantes eram casados ou estavam em relacionamentos “parecidos com o casamento”.

Quando as pessoas passaram conflitos, notaram que os sentimentos negativos não aumentavam se, naquele dia, tivessem recebido um ou mais abraços. “Não ficamos surpresos ao descobrir que as pessoas que relataram receber um abraço pareciam estar protegidas contra os maus humores relacionados com a experiência de conflito”, declara Michael Murphy, um dos autores da investigação, da Universidade Carnegie Mellon, em Pittsburgh, Pensilvânia.

“Essa descoberta é consistente com várias linhas emergentes de evidências que demonstram a capacidade dos comportamentos de toque em relacionamentos próximos para reduzir as percepções de ameaças e aumentar os sentimentos de segurança e bem-estar”, continua Murphy por e-mail. “No entanto, ficamos pelo menos um pouco surpresos ao descobrir que não havia diferenças detectáveis entre mulheres e homens no nosso estudo, na medida em que os abraços protegiam contra o clima negativo relacionado ao conflito”.

No geral, os participantes relataram conflitos numa média de dois dias durante o estudo; e relataram receber abraços, em média, em quase nove dias. Em qualquer dia, cerca de 10% dos participantes experimentaram conflitos e também receberam um abraço, segundo o estudo. Cerca de 4% dos participantes em qualquer dia tiveram conflitos, mas não tiveram um abraço.

O estado civil não parece influenciar a relação entre abraços e humor. Embora a relação entre abraços e humor também parecesse semelhante para homens e mulheres, as mulheres relataram mais dias de conflito e mais dias de abraços do que os homens.

FONTE - Público

Ler 28 vezes