Social:
quinta, 17 maio 2018 00:19

Hospital S. José vai ficar sem radiologista durante a noite

O Hospital de São José, em Lisboa, vai deixar de ter, a partir de 1 de junho, um médico radiologista no local durante o período noturno, denunciou a Ordem e o sindicato dos médicos.

A Ordem dos Médicos e o Sindicato Independente dos Médicos denunciaram esta quarta-feira que o Hospital de São José, em Lisboa, vai deixar de ter, a partir de 1 de junho, um médico radiologista no local durante o período noturno. “Segundo um despacho interno, a radiologia e neurorradiologia, entre as 00h00 e as 8h, vão ter técnicos a efetuar os exames, que depois vão ser avaliados por um médico via telemedicina. Durante este período não estará um radiologista no local”, disse à Agência Lusa Alexandre Valentim Lourenço, do Conselho Regional do Sul da Ordem dos Médicos.

Este representante da Ordem esteve na noite desta quarta-feira a efetuar uma visita ao hospital de São José, referindo que esta é uma decisão “impensável de ser tomada”, num hospital que tem uma das maiores urgências do país. “Este é um hospital de fim de linha, que recebe doentes de outros locais quando estes não têm capacidade de resposta. É impensável mandar os exames para uma empresa no exterior e este facto pode causar graves distúrbios”, alertou.

Alexandre Valentim Lourenço espera que esta situação seja resolvida e salientou que nas conversas que manteve, percebeu que “os colegas estão muito preocupados”. “O hospital fica sem uma das suas principais armas de diagnóstico. Muitas vezes, a análise efetuada aos exames entre o médico e o médico radiologista levam a decisões que podem salvar vidas”, frisou.

O Sindicato Independente dos Médicos (SIM), em comunicado, também condena a situação prevista, salientando que pode “pôr em risco os doentes e a potenciar a possibilidade de erro médico”. “A partir da meia-noite, o Hospital de S. José, uma referência do SNS, não terá disponíveis médicos radiologistas, quer em presença física quer em prevenção. Os exames são executados por técnicos e avaliados via telemedicina por um médico, quem sabe se a centenas de quilómetros”, refere, em comunicado.

O SIM salienta que não estará no local um médico radiologista para “supervisionar a execução dos exames e avaliar clinicamente o doente”. “O SIM considera escandaloso que seja candidamente assumido pela Direção do Serviço de Radiologia do Hospital S. José essa ausência de recursos humanos médicos durante a noite. E compreende e louva a preocupação e indignação dos médicos responsáveis das equipas de urgência”, frisa, considerando que esta é uma situação “que se repete em Lisboa e em muitas outras zonas do país”.

A Agência Lusa tentou contactar o hospital de São José, mas até ao momento não foi possível.

FONTE - Observador

Ler 179 vezes