Social:
quinta, 07 dezembro 2017 18:21

Um teste de gravidez que dá para deitar fora pela retrete

A startup Lia Diagnostics e o teste de gravidez que dá para deitar fora puxando o autoclismo foram os vencedores da batalha de startups no Tech Crunch Disrupt, ganhando um prémio de 47 mil euros.

Nem tudo é Web Summit. Também há outros grandes eventos europeus que mostram o melhor das startups a nível mundial. Um dos mais conhecidos é o TechCrunch Disrupt e acabou de dar o prémio de melhor startup à Lia Diagnotics com um produto bastante inovador: um teste de gravidez que — depois de feito o teste — dá para lançar na retrete e, puxando o autoclismo, a fazer desaparecer.

Segundo a empresa é o primeiro teste de gravidez de sempre que, depois de usado, dá para deitar fora pela sanita. Como refere o TechCrunh, publicação online que apadrinha o evento, é a maior inovação numa tecnologia que não vê nenhuma mudança há mais de 30 anos. A ideia é de Bethany Edwards e Anna Simpson, que fundaram a empresa em 2015 depois de Edwards começar a trabalhar no projeto no âmbito da sua tese de mestrado.

No vídeo é possível ver a apresentação final da startup no TechCrunch Disrupt.

“Os diagnósticos de uma só utilização são feitos de materiais que não são biodegradáveis e por isso acabam em aterros se não forem reciclados”, explica Edwards à mesma publicação. “É o mesmo pauzinho de teste desde 1987 e isso é ridículo”, continua. Uma das novidades do produto não é só no material, é também no design, ao ter uma maior área para recolher a amostra de urina necessária para o teste.

O teste funciona da mesma forma que os testes tradicionais, sendo apenas necessário urinar no objeto e se, aparecerem duas linhas, é sinal que a mulher poderá estar grávida, uma linha, provavelmente não está (o teste tem uma eficácia de 99%). Depois, em vez de se ter de mandar para o lixo ou ter de guardar na carteira para salvaguardar a privacidade, a mulher pode simplesmente deitá-lo na retrete e puxar o autoclismo.

A tecnologia já teve aprovação da FDA (Food and Drugs Admnistration, o equivalente americano ao Infarmed português), e vai estar disponível para venda a partir de meio de 2018 na Amazon e no site da startup.O preço rondará os sete e os 20 euros.

A Lia Diagnostics tem sede em Filadélfia, nos EUA, e a presidente executiva afirmou ao Tech Crunch que este produto é apenas o início: “o que fizemos foi criar uma nova categoria de testes descartáveis e biodegradáveis”.

FONTE - Observador

Ler 137 vezes