Social:
terça, 14 novembro 2017 15:28

Câmara de Serpa compromete-se a construir uma nova ETAR em Vales Mortos

População suporta, há três anos, maus cheiros, moscas e mosquitos devido à escorrência de esgotos não tratados a céu aberto.

Duas horas depois da chegada da edição do PÚBLICO à cidade de Serpa com a notícia sobre o problema com a ETAR de Vales Mortos, que se arrasta há três anos e sobre o qual a câmara não quis responder às perguntas do jornal, surgiu nas caixas de correio dos residentes da pequena povoação um comunicado assinado pelo presidente do município, Tomé Pires, onde o autarca garante a “construção de uma nova ETAR ainda este ano, para que no início do próximo Verão esteja a funcionar, tal como está previsto no plano de actividades.”

A pequena comunidade não escondia a satisfação pelo compromisso assumido por Tomé Pires, que dizia partilhar da “preocupação manifestada” assim como as “dificuldades sentidas pelos habitantes de Vales Mortos, com a desactivação da ETAR há três anos e os transtornos entretanto causados.

O autarca disse que tinham sido “esgotadas todas as tentativas de solução” para aproveitar a infra-estrutura existente. Mas após “vários estudos efectuados” para colocar em funcionamento a ETAR, concluiu-se que o actual equipamento é “irrecuperável”.

Reagindo ao mal-estar manifestado pela população de Vales Mortos, o autarca frisou que o problema “tem merecido a maior das atenções” por parte da autarquia, acrescentando que sempre procuraram “encontrar soluções técnicas com aproveitamento da ETAR existente para que a resolução fosse mais rápida e concretizável”. O presidente da câmara acrescentou que o município não dispunha dos meios necessários para avançar com uma ETAR nova. Tomé Pires garantiu que a construção de um novo equipamento foi sempre o primeiro objectivo da autarquia. "Infelizmente, e por razões de vária ordem, nas quais sobressaem as reduções financeiras nos Orçamentos de Estado com o não cumprimento da Lei das Finanças Locais, nem sempre é possível fazer tudo o que temos de fazer e no tempo que desejamos fazer” concluiu o autarca.

FONTE - Público

Ler 6 vezes