Social:
Vanda Veiga

Vanda Veiga

Enfermeira especialista em Enfermagem Médico Cirurgia - doente crítico

Mestre em Enfermagem e em Gestão dos Serviços de Saúde

Pós-graduada em: Gestão SS, Cuidados Paliativos, Nutrição, diabetes e metabolismo

Atividade profissional: Área clínica (serviço de urgência), docência (cuidados paliativos, ética e deontologia), investigação (área do idoso).

terça, 03 janeiro 2017 22:38

Colega Enfermeiro/a, aceita(s) o desafio?

São narrativas que focam simples gestos que podem fazer a diferença na vida de outras pessoas, e por isso merecem ser partilhadas.
sexta, 11 setembro 2015 18:56

Ordem, para que te quero?

O enfermeiro é quase como o palhaço no circo: vende os bilhetes, faz malabarismos, mostra as cabrinhas a correr, faz de apresentador, no intervalo vai a correr vender pipocas… E depois é avaliado como palhaço, pelo dono do circo!
segunda, 13 abril 2015 00:42

Não o fazemos por menos


Portugal tem apresentado taxas de infeções hospitalares acima da média europeia com custos muito elevados.

sábado, 27 dezembro 2014 11:25

(Pré) História de Natal

 

No Natal as palavras, as imagens, os sorrisos, as mensagens, os votos, convergem para a amizade, a tolerância, o amor, a felicidade, a sorte, a bondade, a saúde… é uma altura do ano em que parece haver uma sensibilidade maior para o tema “família”.  

sábado, 16 agosto 2014 00:10

Não é um homem, é um cogumelo!

 

“Conheço um Planeta onde há um Senhor (…). Nunca cheirou uma flor. Nunca olhou uma estrela. Nunca gostou de ninguém. Nunca fez nada a não ser somas. E todo o dia repete como tu: «Sou um homem sério! Sou um homem sério!» e isso fá-lo inchar de orgulho. Mas não é um homem, é um cogumelo!”*

quinta, 22 maio 2014 23:06

Chiuuu!... Calem-se, por favor!

Porém, as coisas não são assim. Há aspetos de ambos os códigos - profissionais e das organizações - que não estão alinhados pelos mesmos pressupostos, já que vivemos num tempo em que se procura incutir uma certa moralidade assente no “politicamente correto”, como ilustra a passagem que transcrevo da proposta de modelo do Governoque referi:

O SR. Ministro da Saúde acertou na mouche: A presença de enfermeiros nos lares ajuda na diminuição do aparecimento de causas, na gestão clínica de situações agudas ou agudização de problemas crónicos

sexta, 10 janeiro 2014 10:40

Nada na Enfermagem é simples

 

“Desculpe Sr enfº/ Sr. doutor, lavou as mãos?

Não se importa de ir lavar as mãos antes de tocar em mim?

Obrigada.”

quinta, 09 janeiro 2014 22:13

Fórmula do Diabo

A verdade é que os doentes que permanecem em macas, internados ou não nos corredores de serviços de urgências, recebem cuidados globalmente deficitários. Especificamente em relação à enfermagem, por muito que os enfermeiros se empenhem, é evidente que muitos cuidados básicos de que esses doentes necessitam não são adequadamente prestados ou não são mesmo prestados de todo.