Social:
terça, 21 janeiro 2014 23:56

Pedro Rosa

Entrevistamos um dos autores da aplicação "material de penso" para o sistema android.

 

 

Uma iniciativa feita a pensar nos enfermeiros que no seu dia a dia necessitam de ter informação actualizada e imediatamete acessível "on the move" através da utilização do seu smartphone. Esta aplicação foi desenvolvida por João Furnas, estudante de biologia na Universidade dos Açores e programador Android, e por Pedro Rosa, enfermeiro no Hospital do Divino Espírito Santo de Ponta Delgada, EPE (Consulta Externa Polivalente - Unidade de Medicina Hiperbárica e Subaquática), pós graduado em Tratamento de Feridas e Viabilidade Tecidular.

 

Como surgiu a ideia de uma aplicação móvel para material de penso?

Com a aquisição de um telemóvel com sistema Android comecei a procurar aplicações sobre feridas e descobri que é uma área com poucas aplicações. Surgiu, então, a ideia de criar uma sobre material de penso, que seria uma ajuda para o dia-a-dia dos profissionais. Entrei em contato com um amigo que tem noções de programação e ele aceitou o desafio.

 

Este é um trabalho em parceria com outro colega, como é que se conheceram e como funcionou esta sinergia?


João FurnasO colega João Furnas que fez a aplicação comigo é Assistente Operacional no mesmo Hospital em que trabalho, e estudante de Biologia na Universidade dos Açores, conheci-o no ginásio há cerca de dois anos e somos amigos desde então . Quando partilhei a ideia com ele, aceitou logo e revelou-se a parceria ideal, cada um de nós conhece perfeitamente os seus pontos fortes e os fracos, sempre abertos às críticas um do outro, não poderíamos funcionar melhor como equipa.

 

Qual a vossa expectativa quanto a esta aplicação?


Esperamos um grande volume de instalações visto que a aplicação será distribuída gratuitamente e se tratar de uma excelente ferramenta de trabalho para quem lide diariamente com feridas e material de penso. Temos consciência de que o fato de esta não estar disponível para outras plataformas afeta o seu sucesso, mas estamos a trabalhar para contornar este obstáculo.

 

Têm planos para a sua divulgação e atualização?


Vamos apostar forte nas redes sociais, nomeadamente o Facebook. Foi criado um grupo (https://www.facebook.com/groups/MaterialdePenso/) que ajudará na divulgação da aplicação e também irá funcionar como um grupo de discussão sobre material de penso. Neste momento estou em contato com a Ordem dos Enfermeiros para fazer chegar a aplicação a todos os enfermeiros através dos meios de comunicação que a referida ordem possui. Farei, também, contactos com outros grupos profissionais.

 

Têm planos para outras plataformas móveis e desktop?

Estamos a planear versões para IOS e Win8.

 

Há planos para uma versão comercial com funções extra?

Não temos nada planeado em concreto, no entanto há intenção que criar uma aplicação sobre feridas onde esta versão acabe por ser incluída.

 

Consideras que os enfermeiros são adeptos da aplicação de tecnologias moveis nos seus cuidados?

A prestação de cuidados moderna recorre em larga escala às novas tecnologias, e numa área em que é indispensável ter acesso à informação, esta aplicação vem trazer mesmo isso, informação sempre disponível onde quer que se encontre. Isto só é possível graças às tecnologias móveis. Acredito que os enfermeiros estão abertos às tecnologias móveis pois estas permitem acesso facilitado a informação.

 

Fica um video promocional da aplicação que em breve estará disponível no Google Play: